quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Contam-se os dias, as horas, os minutos, os segundos...contam-se

Correria
Agitação
Euforia
Desespero
Ansiedade
Esperança

Tic tac tic tac

Quanto sentimento
Quantos sentidos

São repetitivos
São novos
apenas são

A sua existência nos mostra que estamos eternamente em transição

Para alguns, o ano de 2009 foi sufocante
Trabalhoso
Preocupante
Problemas velhos
Lágrimas rolaram durante os meses
Amores começaram e terminaram
Paixões foram despertadas
Reencontro
Desencontro
Saudades
Raiva
Belezas encontradas e aceitas
Filhos crescendo e amadurecendo
Pais mais próximos
Novos amigos
Novas ambições e planos

Termina mais uma ano para dar lugar a um ano novo
Um ano cheio de expectativas
de acertos
de consertos
de...

Queridos aventureiros, vamos descarregar velhas cargas, deixar vazia nossas mochilas e abrir espaço para outras aventuras, outras trilhas, outros caminhos
Vamos apenas nos permitir
Permitir ser essência
Ser bondade
Ser amor
Ser companheiro
ser...

Para aqueles que estão aqui e para aqueles que estão longe desejo com todo amor e respeito um bom final de ano e Excelente 2010!!!

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Uhuuuu! Adivinhem o que aconteceu?

É importante manter a esperança quando não enxergamos a luz no fim do túnel
A fé quando não acreditamos que vai dar certo
A força para aguentar caminhar
E o sorriso para melhorar os dias em que a tristeza insiste estar presente
Acordei com saudades, liguei a TV e o nosso desenho predileto estava passando
Peguei o telefone e sem sucesso não ouvi sua voz
Ainda esperançosa, liguei novamente
Consegui!
Após falar fui trabalhar, coração apertado, saudade imensa e o desejo de que ele estivesse bem
Ainda com muita raiva do acontecido, fui desabafando com alguns amigos, fui escrevendo, fui aliviando em intervalos de choro
De repente...o telefone do meu trabalho toca
Olho pelo identificado de chamadas e vejo o número da minha casa
Pensei...O que será?
E a voz doce que me falava ao telefone, deu a notícia
Sabe quem está aqui?
Meu coração acelerou, encheu de alegria e expulsou a aflição que me consumia
Sim...Ele tinha voltado
Não sei o motivo
Não sei o que houve
Só sei que algo aconteceu
Os meus pedidos foram aceito
Meu príncipe voltou
E bem feliz
Sorridente e brincalhão, me deu um "oi" bem gostoso e disse que já estava brincado com seus amigos e que havia voltado mais cedo
E a boa notícia?!
É com ele que vou estar no Reveillon e é somente com ele que eu deveria estar...

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Tirou de mim

Apareceu no final da tarde
Veio acompanhado e conforme fora acordado
o levou
Beijei-o e me despedi, com a certeza de ver-lo antes do Reveillon
Subia os longos degraus que me levava até minha casa, quando uma voz corta o silêncio da saudade:
- Carlaaaaa!
O coração disparou, apertou, algo acontecia e na minha cabeça apenas um pergunta...
“O que houve desta vez?”
Retornei e abri o portão
Defronte a ele aguardei pacientemente o que queria me dizer, e ao começar a falar foi como se eu tivesse no exato momento em que a Bomba em Hiroshima explodiu
Natal, 25 de Dezembro de 2009, às 17h00, a mensagem chega rasgando meu coração ao meio
- Tenho direito da metade das férias escolares e estarei levando-o, ele retornará no dia 04/01/2010...havia esquecido de te informar...
- Esquecido?! Como assim?! Essas coisas não esquecem...
Subitamente enlouqueci, bati o portão desejando ter batido nele, subi as escadas pisando cada degrau tentando esmagar aquele sofrimento, os olhos vermelhos de tanto ódio não enxergava mais nada em minha frente, as lágrimas escorriam no intuito de abrandar a dor que sentia
Era em vão
Precisava de um banho gelado
E no meio do caminho descarreguei todo aquele sentimento na porta do quarto
Ganhei mais uma dor, uma dor física, machuquei a mão e mesmo assim não aliviou a raiva em que eu era consumida.
Perdi o chão, o céu caiu
Desmoronaram os meus pilares, nos juntamos e saímos para aliviar a cabeça, alugar filmes
Eu não conseguia parar de chorar e a cada vez que aquela cena vem a minha mente
De imediato as lágrimas escorrem pelo rosto
O que mais dói é que um dia eu o amei, um dia eu o escolhi e escolhi a vida que queria viver, enfrentei grandes tristezas, colecionei mágoas, afastei-me de tudo e de todos, saí dessa relação sozinha, ou melhor, apenas com o meu pequeno e você está bem, confortavelmente na sua posição de “bom moço” e mesmo assim o que vejo e o que sinto é que tudo isso que estais a fazer, cada ação que vem de você, é na intenção de me atingir, esquecendo apenas que esta criança maravilhosa sofre quando isso acontece e que infelizmente pela pouca idade o direito de escolha não são considerados, ficamos a decidir o seu destino.
Isso é injusto!
Tomarei outros caminhos
Tornarei-me uma pessoa que não almejo e que tenho ojeriza, mais foi sua escolha, foi seu desejo e que assim seja.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Mensagem

Caros amigos,

Desejo sabedoria, para que tenhamos a capacidade de ultrapassar nossas dificuldades
Desejo amor, para que saibamos perdoar
Desejo sorrisos, para alegrarmos os nossos dias e daqueles que nos rodeiam
Desejo generosidade, para ajudar a entender os outros e a si mesmo
Desejo bom humor, para transformar os problemas em solução
Desejo sensibilidade, para que possamos usufruir dos registros das nossas saídas oficiais e não oficiais
Desejo saúde, para aproveitar todas as oportunidades
Desejo a todos vocês Feliz Natal e um maravilhoso 2010!!!!

sábado, 19 de dezembro de 2009

Shuuuuu - Silêncio


Ao meu lado dorme um anjo
de cabelos lisos, parece um índio
de olhos castanhos doce feito mel
de pele morena da cor daquele caramelo que comprávamos na porta da escola
mãos pequenas que conseguem acariciar meus cabelos até adormecer
sorriso imenso desejando boa noite
choro dengoso quando contrariado porque não quer escovar os dentes antes de dormir

Ao meu lado dorme um anjo
chegou quando você foi embora
e com ele veio dias mais intensos
lágrimas recheadas de emoção
medo de não saber ser mãe com todas as letras e importância que esse título tem
incondicionalidade do amor, se é que existe essa palavra tão grande
sorrisos mais felizes
noites preenchidas
certeza de aprendizado
doses de paciência
vontade de estar viva
coragem para prosseguir
força para lutar
razão para ser e estar

Ao meu lado dorme um anjo
de forma pura e singela
de inteligência incomum
de sabedoria de um ancião
tudo que sonhei e desejei

Silêncio!
Pois, ao meu lado dorme um anjo

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Aproximando e cada dia mais perto



Novamente eu a vejo
Sentada naquele banco de praça defronte ao mar
O azul predominante confunde
O que é mar?
e o que é o céu?
Lindos, azul e brilhantes
Hoje a vejo mulher com o mesmo espírito de moleca
Doce
Forte
E muito mais inteira
Dona de si
Com sua caneta em punho e uma folha qualquer de papel
Transforma
Mergulha em seus pensamentos
e pescando as palavras certas, incertas, incoerentes ou incorretas
Compartilha sentimentos, influi no curso de qualquer estrada
Seja ela sua, minha ou dela
Decidida e cheia de planos ela levanta daquele banco
disposta a ir a luta mesmo cansada de tantos tropeços sequenciados
O vento que balança seus cabelos negros anuncia a certeza de boas noticias
Com o coração apertado e mesmo assim palpitante
Ela arrisca
Levanta
E com todas as letras que agora não lhe faltam
Diz ao universo um adeus sem até breve para aquele passado que passou
Abre espaço para um futuro glorioso e doze meses de aventuras
Que venha 2010!

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Elucubrações mentais

O sol quente
mar manso
((silêncio))
Focos de incêndio
Amor
Paixão
Queimação no corpo
De dentro para fora
Pupilas dilatadas
Sorriso voltando ao seu devido lugar
de onde não deveria ter escapado
Uma canção assobiada de cima da pedra em meio a pescaria do fim de tarde
No céu o degradê azul(sequência de tons contínuos)nunca demodê, que seguia até o horizonte
Nas águas, o brilho do Sol prateava um percursso
Pegadas
No morro não morro mais
Casais
Solidão
Pensamentos próprios e agora compartilhados
Palavras pensadas
Conversas ditas
Canções assobiadas
Nenhuma sombra
Nenhuma companhia
Caderno
Caneta
E inspiração
Ninguem...ninguem

Do outro lado

De um lado calor
do outro brisa

De um lado Sol escaldante
do outro sombra refrescante

De um lado amor
do outro ternura

De um lado solidão
do outro plenitude

De um lado sorriso
do outro seriedade

De um lado a espera
do outro a monotonia

De um lado a esperança
do outro a relevância

De um lado lado
do outro ângulo

Do outro lado
apenas eu e o meu outro eu
sem espaços, pedaços ou percalços

Do outro lado, do mesmo lado, sem lado

Perdas & Ganhos

Acabo de perder minha identidade
Sim!
Perdi! E por incrível que pareça
Estou FELIZ!
Perdi a identidade e não a integridade
O vento a levou
O que era passado, rolou, embolou, parou, voou e caiu morro abaixo
Me deixou de presente o “presente”, a dádiva dada diariamente e unicamente para cada um com o objetivo de torná-lo especial
E, se por algum momento ele passar, deixa de ser presente tornando-se um passado impossibilitado de mudar, virou fato consumado
Bom...agora tenho a certeza de que esse passado, quem em meu nome eu carregava, que estava registrado e inserido na minha vida e que pesava os meus dias, foi embora, suicidou-se, partiu, deixando aflorar minhas origens, renovando meu crescimento
Agora?!
Desejo que não me aches
Desejo que o vento e as águas salgadas a destrua marcando a transformação, transição
Hoje morre a identidade adquirida a pouco e renasce firme e forte a que eu recebi no dia 18 de Setembro de 1981
Vai para longe
Vai em Paz
Apenas vai para nunca mais regressar

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Corredores - Na dualidade do seu significado.



Amanhece mais um dia na capital baiana
Sol e muito calor, temperatura oscilando entre “inferno quente” e “inferno muito quente” (risos)
Um banho frio para começar o dia e resolver uma das etapas mais dolorosa e de arrependimento que já vivi até a presente data
Aos poucos visto minha armadura, concentro-me e realizo o desjejum
Espero o transporte mais confortável e seguro do mundo
Aquele, que nos braços envolve e no carinho aconchega
Um silêncio mortal e o desejo de tudo estar bem
Mãos gélidas, sentimento de estar a caminho da condenação ou da libertação
A incerteza vai consumindo ao tempo que sincronizo os meus passos
Respiração ofegante
Frio na barriga
Calafrios
O TEMPO NÃO PARA, mais hoje ele parou no exato instante que saí do elevador
O corredor tornou-se longo
As pernas "bambearam"
A ansiedade me atormentava, assim como consome os seus olhos esperando o desfecho desse texto
O metabolismo aumentava
E as mãos gélidas tremiam e suavam ao mesmo tempo
O suco gástrico corroendo as entranhas
Pronto! Abri a porta
O negociador deseja bom dia, nas mãos dele está a carta da minha libertação
Não consegui conter
As lágrimas não pouparam esforços e em um piscar de olhos jorraram, era uma mistura de desespero e esperança
Depois de alguns minutos, pude entender que alguns negociadores dispõem de um coração que bate no peito
Ufa!
Mais uma vez as lágrimas ferozmente derramaram-se inundando minha face de alívio e interrompendo o silêncio, uma voz branda soa ao meu ouvido como um abraço apertado
- Mais uma etapa vencida minha filha
Desaguei mais uma vez
E assim estou reconstruindo, prestes a encerrar o ano de 2009
Zerando o cronometro para começar uma nova caminhada e trilhar outros rumos
Correndo a favor do tempo e do espaço nos corredores das escolhas de cada porta, entrando, saindo, fechando, abrindo...

domingo, 6 de dezembro de 2009

Uma mensagem que não é só para mim ")

Um dia você aprende que - William Shakespeare

"Depois de algum tempo você aprende a diferença,
a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma.
E você aprende que amar não significa apoiar-se,
e que companhia nem sempre significa segurança.
E começa a aprender que beijos não são contratos
e presentes não são promessas.
E começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida
e olhos adiante, com a graça de um adulto
e não com a tristeza de uma criança.
E aprende a construir todas as suas estradas no hoje,
porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos,
e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.
Depois de um tempo você aprende que o sol queima
se ficar exposto por muito tempo.
E aprende que não importa o quanto você se importe,
algumas pessoas simplesmente não se importam...
E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa,
ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso.
Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.
Descobre que se leva anos para se construir confiança
e apenas segundos para destruí-la,
e que você pode fazer coisas em um instante,
das quais se arrependerá pelo resto da vida.
Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer
mesmo a longas distâncias.
E o que importa não é o que você tem na vida,
mas quem você é na vida.
E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher.
Aprende que não temos que mudar de amigos
se compreendemos que os amigos mudam,
percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa,
ou nada, e terem bons momentos juntos.
Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida
são tomadas de você muito depressa,
por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos
com palavras amorosas, pode ser a última vez que as vejamos.
Aprende que as circunstâncias e os ambientes tem influência sobre nós,
mas nós somos responsáveis por nós mesmos.
Começa a aprender que não se deve comparar com os outros,
mas com o melhor que você mesmo pode ser.
Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser,
e que o tempo é curto.
Aprende que não importa onde já chegou, mas onde está indo,
mas se você não sabe para onde está indo,
qualquer lugar serve.
Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão,
e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade,
pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação,
sempre existem dois lados.
Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer,
enfrentando as conseqüências.
Aprende que paciência requer muita prática.
Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute
quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se.
Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência
que se teve e o que você aprendeu com elas
do que com quantos aniversários você celebrou.
Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha.
Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens,
poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia
se ela acreditasse nisso.
Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva,
mas isso não lhe dá o direito de ser cruel.
Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer
que ame, não significa que esse alguém não o ama,
pois existem pessoas que nos amam,
mas simplesmente não sabem como demonstrar isso.
Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém,
algumas vezes você tem que aprender a perdoar-se a si mesmo.
Aprende que com a mesma severidade com que julga,
você será em algum momento condenado.
Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido,
o mundo não pára para que você o conserte.
Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás.
Portanto,plante seu jardim e decore sua alma,
ao invés de esperar que alguém lhe traga flores.
E você aprende que realmente pode suportar...
que realmente é forte, e que pode ir muito mais
longe depois de pensar que não se pode mais.
E que realmente a vida tem valor
e que você tem valor diante da vida!
Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o bem
que poderíamos conquistar, se não fosse o medo de tentar."

Segundas Chances


Enquanto aprecio a taça de vinho que está dançando entre os meus dedos
Hipnotizo-me
Olho fixamente o seu rítimo e penso nas oportunidades que temos para desfrutar de um recomeço, sinto um frio imenso que percorre a espinha, às vezes pareço-me "velha", para tentar de novo, por esse motivo escondo-me, acomodo, sinto receio de mais uma vez errar e errar e errar, e por mais uma vez, como tantas outras vezes, ter que recomeçar
Recomeços e tropeços
Não tenho tempo de errar
Pisar em falso
Isso abala as estruturas
Não tenho tempo de apostar para perder
Definitivamente...
Não tenho tempo
Tenho que aceitar essa ideia?
Talvez
Até o momento fico com essa difícil opção, porém, por muitas vezes, como agora que escrevo
Estou sentada no sofá da sala
Apreciando um bom vinho
Chorando por um filme
Sozinha
E com a única certeza que tenho no meu coração...
Estou muito mais feliz do que a um ano e meio atrás

Boa noite!

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Recompondo

Hoje a tarde voltei ao camarote que diariamente fico para ver o pôr do Sol
Voltei ao mesmo lugar que semana passada, onde passava pela minha cabeça desistir, pular, sumir
Voltei para me certificar se eu havia deixado cair em meio aquela grama o meu sorriso
Boa notícia!
Eu o encontrei, estava jogado no canto, esquecido, abandonado, depois de guardá-lo levantei e para minha surpresa eis quem surge do horizonte, vestida de branco, na proa de um barco, deslizando sob um manto azul
ELA
A minha Paz, o vento soprava forte a vela e ao modo que se aproximava, a sua luz cegava todos que estavam sentados contemplando o pôr do Sol e eu a enxergava nitidamente, apesar da distância
A Paz está a caminho e restam apenas 28 dias para o término de mais um ciclo.
E daqui de cima posso sentir o ar mais leve e puro, o meu coração luta para retomar o seu estado normal, aos poucos estou recompondo os cacos, tive pressa, na verdade, todos tem pressa, mais a ansiedade levou minhas lágrimas
Ou foi o inverso? As lágrimas dissolveram a ansiedade
Bom...
O próximo passo está sendo medido, o ócio é inexistente, o tempo está bom, céu azul, Sol, calor, o clima quente, eu estou seguindo, assim como a Fênix, pássaro mitológico, que, quando morria, entrava em auto-combustão e, passado algum tempo, renascia das próprias cinzas, estou em reclusão para morrer* agora e ressurgir das minhas próprias cinzas.

*morrer: transformação

Chegando o Natal



Querido Papai Noel,

Esse ano eu fui uma “menina” boazinha, obedeci os meus pais, amei o próximo bem próximo (risos), aprendi com os erros, doei conselhos, ajudei o mundo a entender minha história e compartilhei pensamentos.
Ressalto que não fui perfeita e nem muito sábia nos caminhos percorridos, mais a graça de ser um mortal está nas imperfeições.
Meu bom velhinho, como todos que habitam este planeta também tenho pedidos a fazer e espero que possa colocar nesta lista imensa que todos os anos o senhor recebe, desejo ser atendida também, antecipadamente informo que são solicitações cabíveis de realização, então começo:
1- Paz de espírito
2- Amor no coração
3- Sorrisos, milhares deles
4- Força, de preferência que venha com um carregador, para eu continuar levantando das quedas, apesar de não pretender cair
5- Coragem, para começar tudo de novo
6- Luz, para iluminar a escuridão da incerteza
7- Saúde, para manter-me viva e pulsando
8- Sensibilidade, para aprimorar as cores que pinto minhas páginas
9- Paciência, com aqueles que insistem em me aborrecer
10- Amigos, para eu aprender dividir além das minha alegrias as minhas aflições

Desde já agradeço a atenção!

Beijos

Carlinha “)

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Mensageiro

Digo-lhe
Dois estranhos que provavelmente não irão se encontrar novamente, nenhuma história juntos, nenhuma apresentação formal ou informal
Amigos em comum?
Não saberemos
Ela nem deu oportunidade de saber ao menos o nome dele
Gentil
Ágil
Via-se que tinha um coração bom
Nos olhos dela havia aflição
E ele sem fazer parte do seu contexto resolve aliviar a sua dor com um simples sinal de mão, permite a sua entrada mesmo tendo as senhas encerradas nesse dia
Entra
Aguarda um pouco
O filho dela está a espera
A tarde naquela cadeira parece acelerar
Ele sorri e resolve seu problema
O tempo corria, na verdade ela corria contra o tempo
Ela saiu de lá com outro pensamento e ele nem sabe o bem que te fez
Chorou e desta vez foi de alívio
Sei que ela vai retornar
Não irá agradecer-lo pessoalmente
Ainda é muito tímida, poderá ser mal interpretada
Mais de qualquer forma ele receberá a sua mensagem e gotas de endorfinas para fazer o dia melhor
Resultado dessa história não me interessa, o importante são os passos que ela dará daqui pra frente.
Step by step

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Acredite!


Quando tudo parece perdido, o desespero arranca duvidas, lágrimas, força e impede o uso do raciocínio lógico
É impressionante como parece que amarraram você pelo pé e jogaram em um rio de água salobra, que você não sabe onde fica a superfície, o ar vai faltando, você pensa em desistir e deixa ver o que acontece e assim, você nem se lembra que sabe nadar e que suas mão estão livres para "cortar a corda"
A confiança na sua religião desaparece, oscila, você pensa no que poderia ter feito para que o resultado fosse diferente, você pensa como ouvir as pessoas mais experientes poderia evitar essa situação, você pensa que a luz no fim do túnel se apagou, você se martiriza, fica mal, desnorteia todos que estão a sua volta, cria ulceras no estômago, aftas na boca, espinhas no rosto
Quando chega no fim do poço, na escuridão, eis que surge um clarão, você começa a enxergar, tira a venda que te cobria, volta a ter esperança, acredita que existem forças superiores ao qual poderá contar na necessidade, a fé nas pessoas, no mundo, nos seus deuses retornam com tanta intensidade que é capaz de você explodir de felicidade, os dias ficam menos penosos, o peso fica mais leve e as ideias mais claras
Então, cronometro zerado e começa tudo de novo, com outra visão, com outra roupagem, mais experiente, muito mais cautelosa, sem pular qualquer degrau, colocando um pé depois do outro e no rítimo tranquilo vai construindo sua ponte ou sua estrada que ligará seu ponto de partida ao lugar onde quer estar
Sou uma pessoa de muita sorte por tudo, existem dois anjos na minha vida, um olha por mim em outro plano, que desejo que esteja em Paz, peço perdão se dei aflição nessas ultimas semanas, o outro está aqui na terra e me ajuda a ser melhor a cada dia, existem também grandes mensageiros que vem me ajudando, conhecidos e desconhecidos, familiares e amigos, aqueles que tem intervenção Divina e que na hora certa e precisa estão lá, prontos a me ajudar a traçar caminhos de luz
Queridos aventureiros, estou aprendendo muito em todas jornadas que fiz sem ao menos planejar, não percam a fé e se em algum momento de dificuldade mandarem cortar a corda, acredite! O universo conspira ao seu favor...

sábado, 28 de novembro de 2009

Postei mesmo rsrsrsrs

Pode ser uma banda que não tenho nenhuma admiração
Pode ser uma banda ao qual não estou nem aí para o som dela
Pode ser uma banda de meninos "EMOS"
Mais a letra dessa música...

Espero a Minha Vez
Nx Zero

Se o medo e a cobrança, tiram minha esperança,
Tento me lembrar, de tudo que vivi,
E o que tem por dentro, ninguém pode roubar.

Descanso agora, pois os dias ruins, todo mundo tem,
Já jurei pra mim, não desanimar.
E não ter mais pressa, pois sei que o mundo vai girar,
O mundo vai girar, eu espero a minha vez.

O suor e o cansaço fazem parte dos meus passos,
O que nunca esqueci é de onde vim,
E o que tem por dentro, ninguém pode roubar.

Descanso agora, pois os dias ruins, todo mundo tem,
Já jurei pra mim, não desanimar.
E não ter mais pressa, eu sei que o mundo vai girar,
O mundo vai girar, e eu espero a minha vez.

E eu não to aqui pra dizer o que é certo e errado,
Ninguém tá aqui pra viver em vão.
Então é bom valer a pena, então é pra valer a pena, ou melhor não.

Os dias ruins todo mundo tem,
Já jurei pra mim, não desanimar
E não ter mais pressa, pois sei que o mundo vai girar,
O mundo vai girar, e eu espero a minha vez.

Posso fazer o que quiser mais não esconderei o que me consome

Eu posso sumir
mais comigo virão os problemas

O sorriso poderá retornar aos meu lábios
mais o peso das promessas não vividas permanecerão

Pode-se secar as lágrimas
mais o coração continuará a sangrar
as feridas estarão abertas flamejando de raiva

Posso estar calma
mais as unhas serão castigadas

Omito a verdade
mais meus olhos revelarão a veracidade dos acontecimentos

Permito-me ouvir musica e permanecer sentada
mais as pernas rapidamente denuciam a ansiedade

Os óculos escuros disfarçam
mais o rosto vermelho e inchado indicam a enxurrada da noite passada

E assim vou levando, remando contra a maré, convivendo com as tempestades em alto mar e rezando para que a calmaria se apresse...

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Desistindo de mim

Todos os dias direciono-me ao alto daquele morro na esperança de que o forte possa me passar segurança e de que a luz do farol me guie
Sentada naquele pedaço de árvore que não dá mais sombra, assisto o que acontece
Nesses mesmos dias, que para mim são de reflexão, para outros são dias de curtição, momentos a dois, tarde de fotos, magia do pôr do sol, encontros, desencontros
Hoje eu mudei de lugar, antes no canto, quase imperceptível, agora de frente para ele, sentindo o seu calor mais próximo, sua luz e no mar o brilho dourado refletindo-se em prata uma estrada que te leva de algum lugar para lugar algum
Oscilando entre ventos fortes, a maresia forma uma cortina embaçando o que eu poderia ver e então pergunto-me: O que devo fazer? Saltar sem para-quedas lá embaixo?
Só assim acabo com a aflição que aperta o coração, porem não resolvo nada e deixo saudades daqueles que realmente me amam, outra alternativa é sumir, só não sei para onde e aí quem fica com saudades sou eu
Humm
Esquecer de mim? Seria uma opção
Cheguei ao ponto de pedir as gaivotas que me levem para longe e que me deixem se perder no horizonte, mais foi em vão, elas se foram e me deixaram
O suor escorre pelas minhas costas
A música ensurdece os meus ouvidos, não que ela seja ruim
A luz cega meus olhos
Viajo no tempo e no espaço ao passado
Inexistente ponto de partida e chegada
As ondas do mar exuberante violentamente esbarram-se nas rochas que me rodeiam
Respingos no ar
Arte visual fantástica!
O vento, na pressa de um corrida louca alivia o calor momentaneamente
A Natureza versus “Urbanidade”
A cegueira permite aguçar outros sentidos
Ouço gargalhadas, suspiros, segredos
Sinto as formigas morderem meus pés descalços na grama, lembrando-me a cada segundo que estou viva, boa terapia de percepção
O calor do fim de tarde “primaveril” queima incessantemente meu rosto, meus braços, meu corpo
O alarme toca, desperta-me para a realidade que infelizmente não é um conto de fadas
Tenho que retornar
Abre-se um buraco negro e os pensamentos são sugados no vácuo
Encerrado mais um dia de palavras
Tristeza
Preocupações
Minha imaginação fora roubada por uma velha andorinha que não mais faz verão e deixou cair no caiaque que cortava o mar naquele instante e de lá com toda certeza não a verei
Ficam a seriedade que tento evitar, as lágrimas de dor, raiva e arrependimento
Peço desculpas aos meus alicerces que estão a me sustentar, está sendo difícil, não sei se o final está próximo, mais sei que o meu limite já foi ultrapassado e a cada hora que passa, entre o desespero e a persevarança, coloco nas mãos do universo para que tudo seja conspirado ao meu favor e assim vão-se os dias e as noites, as semanas e os meses e o tempo na ampulheta se esvai...

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Profunda Escuridão

Na sombra eu perdi o chão
Desmoronou o céu
Em um dia de Sol com muito calor e a única coisa que pude enchergar foi o desepero correndo em minha direção, aproximando-se a cada segundo
Mais uma vez? Sim
Parece que as coisas ficam mais dificil
Tornando-se clichê
A fonte inesgotável de água fluiu, salgando os meus lábios
Admito, preciso muito de ajuda, coloco as possibilidades na minha frente e não posso vê-las, são intangíveis, as luzes apagaram, não tenho lanterna e nem a luz do celular me salva
Acabou a bateria
Pergunto-me: Para onde vou??
((risos))
Imediatamente respondo: Como fosse possível eu responder a tal pergunta
Irônico

¿¿¿Loucura???
Talvez
Sintomas
Indignação
Consequências de escolhas erradas e que infelizmente tenho que assumi-las e só resta resolvê-las
O desespero aumenta
Por esse motivo aviso, AFASTEM!!!
Vou explodir
))BUM((

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Reclusão da Lua

A Lua que estava reclusa e pálida
Pediu sutilmente ao Céu, permissão para pensar nele
Baixinho como em um suspiro
Ela confessou!
Que mesmo no momento em que havia abdicado de tê-lo e de vê-lo
Ela não o deixou
Não permitiu que o seu coração te esquecesse
Não renunciou seus pensamentos

Sucumbir na irresistível opção da desistência de tudo e todos?
NÃO

A Lua é persistente, até nos erros ela é firme e insiste
Contudo, ela apenas permitiu
Facilitou que a ilusão de estar a todo momento com o Céu, fosse embora nas asas daquele avião e abriu um caminho obscuro para uma estrela do mar, que antagonicamente a conhecia tão bem
Conseguia traduzir o seu olhar e compartilhava de dores parecida, entretanto, Infelizmente ou felizmente,a estrela do mar optou pelo retorno a imensidão do seu espaço e nas costas de um peixe grande, que trazia em seu dorso a direção, partiu
Fugiu para nunca mais voltar
A Lua, por muitas vezes registrou sua indignação com relação ao comportamento humano, decisões e indecisões
Por muitas vezes manteve-se escura em noites de brilho
Banhou-se em lágrimas derramadas que corroíam as crateras de sua deformação
Preso nas asas do cego Assum Preto, que levava contigo, na melodia de suas canções, cortando o horizonte e despedindo-se daquele dia, encontravam-se os seus pensamentos
E naquele pedacinho do mundo
Um violão, amigos que não eram seus, casais desconhecidos e famílias
Uma louca de óculos escuro e um torço na cabeça interrompe a solenidade do pôr do Sol procurando por alguém que pudesse ceder uma bateria, e na correria contra o tempo, a louca consegue uma alma bondosa para perder segundos e doar-lhe a eternidade do fim de tarde
O Sol despiu-se das nuvens e no mar perdeu-se em seu corpo
Ao longe via-se as nuances do pássaro negro
A Lua partiu, e ainda pálida recolheu-se
Hoje ninguém a verá, passará despercebida
Triste, magoada e sozinha
Ela e a constelação que te acompanha

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Consequências presente em uma espera

Sentada
Sozinha
Uma mesa
Uma cadeira desconfortável em uma cafeteria
Inicia-se a tarde
O calor estimula o consumo de uma bebida gelada para refrescar essa Primavera com clima de Verão
Realizado o pedido
Ansiedade da espera
Desejo
Expectativa
Silêncio em meio ao movimento de um espaço cultural
Saborosa cafeína inebriando o ar que compartilho
Transpiro
Cores penetram os cristais das minhas janelas d’alma
Abre-se a porta do desejo
Boca cheia d'água
Observo os movimentos
A operação
Criação
O sistema de deslocamento no recinto como peças de um xadrez
No paladar o doce inicial e o amargo final
Harmoniosa apresentação e com ela a saciação frente a um estímulo e o prazer da escolha certa
Peço a conta
Vou embora
Amanhã poderá ter o mesmo rítimo com diferentes humores, rumores e pessoas
Assim será quando nos conhecermos
Assim será quando você vier
Assim será quando um dia eu conhecer a tí como conheço a mim
Assim será, se em algum momento, eu me ver no teu olhar
Então, assim será...

domingo, 8 de novembro de 2009

...

Choro porque tenho lágrimas que compõem qualquer situação
Sorrio porque tenho o poder de achar graça da vida
Entre lágrimas e dente vivo e sobrevivo

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Levaram-me a vontade de amar

Te dei o meu coração, jóia rara de tamanha grandeza e você o despedaçou
Partiu em milhões de pedaços
Desisti de reconstituí-lo
Concedi o meu tempo, preciosidade necessária para o dia a dia e você o deixou escorrer entre os dedos
Lancei o meu olhar, janelas da minha alma e você apenas elogiou o brilho e apagou as luzes
Avistei-o sair pela porta da minha vida e não pude fazer nada
e sem entender o motivo da mentira fico a pensar se você realmente era diferente dos outros ou devo acreditar que você era apenas mais um

Passarei no teste ao final do ano?

Falta-me ar
Pulmões pressionados pelas mãos cruéis da preocupação
Meus olhos lutam para manter-se aberto
Sofre
A dor arde e embaça
Tento suportar
E então desmancho-me em lágrimas
Lua cheia
Sensibilidade da semana
TPM
Exposta ao estress que paira entre os pilares do meu convívio
Eu sufoco
O grito de socorro é abafado pelo nó na garganta
Apenas eu o ouço
Apenas eu o sinto
O desespero estimula a corrida
Tropeço na concha
Tentador voltar para lá, olho fixamente para ela
Sei que posso ter outra saída, mais não a vejo
Procuro por um "rasgo" no tempo, para que nele eu me perca
Procuro pela cordinha, para que eu consiga parar o Mundo e só assim, descer
Não conheço o motorista que corre desvairado pelas estradas e assim são 9 anos, aproveito os momentos no reabastecimento do veículo, na troca do pneu ou na parada para revisão
Pouco tempo
Planejo uma fuga, porem fica dificil quando se tem alguém a depender
Planejo parar, mais as palavras contidas são venenos diversos, que até o presente o momento não foi encontrado o antídoto
Planejo não planejar, mais é o mesmo que se perder
Estou cansando de me manter na Sala VIP do Aeroporto, vendo o tempo ir e vir
Estou cansada de ser responsável
De ser correta
Estou cansada de entender a todos e não ser compreendida
Estou cansada de ajudar
Estou cansada de ser amiga
Estou cansada de ser meiga
Estou cansada de lutar
Estou cansada de trilhar
Estou cansada e não consigo descansar

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Desenhos de um fim de tarde

É bom sentar na grama defronte ao mar
E na sombra da cidade vejo o desenho no horizonte

É bom observar as águas cristalinas
E ver o Sol se pôr

Atrás dele, um brilho incomum,
as nuvens parecem flocos de algodão

Entre os dedos escapam-se as cinzas das mágoas
Distraída
Ao longe vejo cortando as águas calmas um solitário navegante, remando sua prancha e ultrapassando seus limites

O vento acariciando o rosto aquecido pelo astro rei, esfria o calor da tarde
E ao meu redor ouço o "burburinho" dos espectadores no morro gramado assistindo a despedida do dia

Casais
Amantes
Namorados
Enamorados
Dividindo momentos em um ritual romântico
Compartilhando carinho no silêncio dos lábios

E mais uma vez pelas minhas mãos desenho os meus pensamentos, desejando a vinda de dias melhores

sábado, 31 de outubro de 2009

Divagações em rimas

Desejo com todo amor que guardo no coração
que dias melhores virão
E o que estar por vir
ninguem vai me impedir
Obstáculos serão escadas
para que acelerem as minhas passadas
Nada devo temer
pois os deuses vão me proteger
Participo aos ventos
para que no retorno
leve os meus tormentos
e divida meus pensamentos
Lista de desejos?
coisas que eu almejo
compartilho em um lampejo
E com o universo
eu converso
Citando o que eu quero
O que eu espero
E não me desespero
Prospero
Então encerro
Não a lista
pois são minhas futuras conquistas
Em compensação concluo o poema
para finalizar o tema

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Previsão Atemporal

Dia de sol com possibilidades de chuva no final da manhã ou final da tarde
Pancadas de Chuva à noite
Sol para o fim de semana
Feriado nublado

Quem vai saber?

Previsões
Possibilidades
Destino
Acasos

Gostaria que minha semana fosse surpreendentemente com dias de sol, porque ultimamente tem chovido bastante e quando realmente não chove permanece nublado

((EsTáTiCo))

Passei três dias em "slow motion" presa em um movimento único, não consegui identificar o que ocorria, podia ver e presenciar acontecimentos, mais meus movimentos não respondiam, a mensagem enviada do cérebro não percorria o meu corpo, era interrompida em algum ponto
Estive presa em um mundo astral nada "legal"
Recuperei-me com uma ajuda especial e emergencial
Os movimentos de ação e reação foram recuperados com êxito, mais das janelas da minha alma ainda vejo a mesma paisagem
Previsão de sol e calor que nunca chega
Um dia virá
E até lá o céu permanece nublado com chuvas passageiras, e em alguns momentos há a probabilidade de grandes tempestades com ventos devastadores

Proteja-se!

Levante acampamento e procure um lugar seguro
Escuro

Não aterrorize-se
Vai passar

Hoje?
Amanhã?
Daqui há um mês?

Quem vai saber?

Previsões
Possibilidades
Destino
Acasos

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Confissões de uma não adolescente

Hoje não falarei de viagens, de voos, de trilhas, de barcos, ônibus ou andanças.
Confesso que cansei de falar e de escrever

Calma!

Darei apenas uma pausa na inspiração
Quero esternalizar um assunto que vem me perseguindo, martelando meus dias
Creio, que por estar vendo os dias passarem mais depressa
Os meses correm em uma corrida desvairada,
Vejo os adolescentes que estão sendo formados pela sociedade “on line”, penso o que serão no futuro
Pessoas mais experientes sempre estão acrescentando algo em minha vida, e elas não percebem o bem que me faz
Sei que mexeu alguma coisa que estava dormindo em mim,
Acordou a minha idade,
Não a idade física, tenho somente 28 anos, mais a idade mental,
Vivi acontecimentos que me fizeram enxergar a vida de uma outra forma,
Momentos que estou conseguindo, pelo menos, respirar, desvencilhar e que muitos que conheço, com a idade que estou, não viverão, deixarão passar ou apenas desistirão,
O resultado disso tudo é que tenho uma preciosidade concebida neste turbilhão de mudanças, é o maior motivo da minha sobrevivência
Perco-me nas horas ao observar ele, meu filho
Ao acordá-lo observo cada traço do seu perfil que é iluminado pela luz da manhã, cada sinal, cada cicatriz, vejo-o movimentar-se na cama se esticando para espantar a preguiça, abrindo os olhos demoradamente e pedindo para dormir mais um pouco
Permaneço calada, coçando suas costas e vendo o quanto ele cresceu e se desenvolveu,
Adoro o seu sorriso, os seus pensamentos, a sua lógica com relação a tudo, os seus sonhos e é claro, as “artimanhas” para burlar uma leitura grande, uma atividade “chata” da escola ou uma reclamação minha
Por muitas vezes ele lembra meu irmão
Comecei essa confissão pensando em outro tema, pensando em falar sobre a outra face do tempo, pensando em falar da natureza humana, mais falar dele (o meu diamante) é incansável, ser mãe é incessante, é magnífico, é mágico.
Aventureiros do dia a dia, a maior aventura desse mundo não é escalar uma montanha gelada e gigante, não é saltar de um avião, não é descer de rapel a cachoeira da Fumaça
A minha maior aventura e bem mais vivida recheada de emoções e de improvisações
é ter o privilégio de poder exercer o papel principal no filme da vida
ser mãe ou pai e além de tudo poder compartilhar dessa magia e ser reconhecido pelo nosso bem maior, o filho.
Aventure-se!
Creia que pode, concebendo ou não
Se desejas, tente!
Se não desejas, procure aventurar-se de outra forma, escolhe a montanha mais íngreme e a enfrenta
Boa sorte e Boa noite!

Até breve!
;)

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Eu o vi












Hoje eu o vi
Quando o Sol aproximava-se do mar
E nos seus lábios se perder, eu o vi
Meu coração passava naquela embarcação
Um pequeno veleiro colorido e iluminado pelo lindo dia
O vento ajudava a percorrer as águas peroladas atrás do Farol
E um pobre mortal conduzia o barco no horizonte
Só se via a silhueta desenhada naquela paisagem
Do alto do morro eu estava só, imaginando, sonhando, pensando...
Nas notas melódicas da música que eu ouvia, o barco passava
e nele, meu coração acenava, dando mais um adeus
Notei que ainda não vale a pena o seu regresso
Então partiu em mais uma aventura de auto estruturação
Sinalizou que ainda bate forte a sua emoção

A saudade de ter-lo
A falta que sinto
A sua companhia orquestrando os meus dias

Consciente, vejo que é necessário
E aguardo calmamente cada passo de volta
Cada minuto de retorno
Cada segundo de notícia

Pergunto-me o que faço, queridos aventureiros
Digo adeus e espero um até breve!

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Férias



Queridos aventureiros, peço desculpas pelos transtornos causados, mais até o momento informo que meu coração não retornou, nem mandou notícias
Já faz um tempo que ele resolveu tirar férias
Andava cansado, estressado, sofrido, calado
Viajou
Decidiu partir em trilha, buscando o seu verdadeiro significado de vida
Quis repensar nos seus atos, nas suas crenças, nas suas escolhas durante essa caminhada
Partiu sem data de retorno, sem destino, sem companhia
Traçou apenas um único objetivo
Voltar quando valer a pena
No raiar do Sol, quando a sua presença no lugar não fizer mais sentido
No nascer da Lua, quando a sua imagem refletida na água não estiver turva
No cantar dos pássaros, quando seus ouvidos puderem escutar uma melodia suave
No silêncio da caminhada, quando a sua respiração estiver branda
Na chuva, quando se molhar for redescobrir o gosto infantil de viver
No nascer de um flor, quando os seus olhos puderem ver a magia das cores vibrantes
Aí sim, será o momento decisivo
Estará na hora do seu regresso
Antes disso, ficaremos separados por tempo indeterminado
Ele me deixa livre e eu o deixo pensar, reestabelecer, revitalizar
Agradeço a compreensão e sigamos em frente

domingo, 18 de outubro de 2009

Sonhei com você

Passei uma noite difícil
Muita dor
E a cada momento em que eu acordava
Eu suplicava
Pedia que alguém escutasse meu pedido de socorro
A febre aumentou
Delirei
E entre a consciência e a inconsciência
Sonhei com você
Fiquei feliz em vê-lo
Fiquei muito feliz em poder conversar
Mais o seu desejo de falar com nossa mãe era maior
Ela esperava por você no quarto
Subiu as escadas correndo, como se tivesse pouco tempo
Eu não o acompanhei
Deixei vocês sozinhos
Precisavam se ver
Fiquei preocupada, você chorava bastante
Soluçava
Eu não o ouvia
Sabia que sofria
Mais com o que?
Aconteceu alguma coisa?
O que você queria conversar?
Estávamos todos reunidos, eu, meu filhote, nosso pai e nossa mãe
Tinha uma pessoa que eu nunca tinha visto e perguntava quem era você
Parecia me conhecer e conhecia bastante minha mãe
Depois você foi embora
sem se despedir, saiu com pressa
Sinto sua falta
Tinha tempo que eu não mantinha esse contato
Obrigada pela visita!
Espero pelo seu breve retorno...

sábado, 17 de outubro de 2009

A quem interessar possa

Uma garrafa de vidro flutuava pelo mar
Entre as ondas ela lutava para permanecer o seu percurso
Dentro dela estava um dos maiores tesouros que alguém poderia possuir
Palavras
Soltas e sinceras,
Livres e em alguns momentos severas
Porem, eram apenas palavras
Declarações
Do quanto as buscas são dolorosas
Confissões das renuncias ao alcance da felicidade a dois
Afirmações dos investimentos numa relação que muitas vezes parecia falida
Alegrias pelo fruto de uma união "instável"
ou "Estável"
Depende da posição que a luz incidi na perspectiva do observador
Alívio no dia fatídico
Na desunião
Preocupação com o diamante bruto, para não se quebrar ou fissurar
E através do vidro, a transparência dos seus sentimentos preenchiam aquela tarde
Uma tarde de meio de semana
Um meio que parecia final
E uma semana que alongava-se
O que era opaco, viveu
O que prendia, soltou
E eu?
Mantendo a descrição do dia
Permanecendo defronte as teclas do computador
Dedos dançando entre as letras e construindo mais um texto
Descrevendo algo comum com a carta que lera
Andando
Nadando
Respirando
Até encontrar o caminho certo para erros propícios

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

É Bom Andar a Pé - Wilson Simoninha


É bom andar a pé
sem sapato, sem direção a toa
na cabeça o sol
um boné
É bom andar a pé
devagar para aguentar o calor
e olhar a vista pro mar
melhor

É bom andar a pé
sem dinheiro, sem documento
a favor do vento
semi nu
É bom andar a pé
devagar para aguentar o calor
e olhar a vista pro mar
melhor

esqueça tudo
que tudo sobrevive
isto é tempo livre pra viver
é bom saber
andar acompanhado de ti
faz meu coração se sentir
melhor

É bom andar a pé
sem sapato, sem direção a toa
na cabeça o sol
um boné
É bom andar a pé
devagar para aguentar o calor
e olhar a vista pro mar
melhor

esqueça tudo
que tudo sobrevive
isto é tempo livre pra viver
é bom saber
saber não ocupa lugar
andar acompanhado de ti
faz meu coração se sentir
melhor

=)

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Não existimos

O vento soprando no litoral
As ondas beijando a praia
O seu contraste ao Sol admiro as linhas que te desenham
Pergunto-me...
- O que faz aqui?
Fim de tarde
Brisa acariciando o rosto
Palavras tocando os seus lábios
Insito...
- O que faz aqui?
Ouço o silêncio da resposta
Abro os olhos
Percebo que não existe você
não existe eu
não existe nós
Apenas os meus pensamentos, o Sol, O mar e a tarde a se despedir

Aventureiros do dia sugiro uma parada para apreciar a vista do alto e conhecer o lado obscuro dos seus pensamentos, dos seus desejos, da sua mente
Aviso importante!
Cuidado!
Pois é um caminho de mão dupla

Boa noite =)

terça-feira, 13 de outubro de 2009

First Step



Subir aquele primeiro degrau foi doloroso mesmo sendo necessário

Sofri

Em sonhos procurei uma resposta, uma pista, uma luz
Supliquei ajuda a Deusa Anciã, aquela que detém a sabedoria sobre os seres, o conhecimento da vida e o poder da renovação

Respirei

Chegou o dia

O sol raiou e a coragem de sair para correr escorreu entre os dedos
Permaneci imóvel na cama olhando o relógio contar os minutos
Um frio na barriga, coração apertado e com a decisão desenhada nas mãos

Campainha tocou

Sua presença me incomodava
Energia pesada, coração impuro
Ela havia sonhado...

Sonho premonitório
Ajudou-me bastante
Encurtou a conversa

Agradeço a Deusa, sei que teve a intenção
Uma etapa concluída

((Shuuuuu))
Corre pela areia a magia do Senhor do tempo

Vai embora

Nasce o Rei Sol
Brilham as estrelas da festa
Cai a chuva lavando a alma
e a Deusa Lua aparece iluminando parte do quarto
E assim passam os dias
Cada pedaço do quebra-cabeça procura pelo seu encaixe
Um encaixe perfeito
Juntos formam uma grande Obra
Suor no rosto
Atenção
Foco [o]
Dedos trêmulos
Respiração ofegante
E lá dentro, naquele pedaço de mim...
Ainda resta a força da perseverança
Esperança

Inspirem-se meus companheiros de Aventura, tudo irá se resolver...

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Procura-se

Procura-se um portal no tempo que me leve de volta aos momentos de criança
Procura-se neste lapso um momento de lucidez nas brincadeiras de rua
Procura-se o limite do vídeo game e a realidade
Procura-se menos violência em curto espaço de tempo
Procura-se tempo
Procura-se um lugar em que a tecnologia apenas ajuda o desenvolvimento
Procura-se um lugar mais colorido

Procura-se!

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

O sol nasceu...

Bom dia Aventureiros!

Aviso apenas que acordei!

O penhasco continua no mesmo lugar
Às vezes muito frio
às vezes um calor insuportável

Ainda ouço alguns passarinhos em uma música suave
Estou apenas parada no mesmo lugar, olhando a paisagem e tentando respirar

É a vida! Está apenas começando mais um dia...

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Puxa a cordinha!

- Pára o mundo que eu quero descer!!!!

Ouvi uma voz chorosa gritar
Acordei assustada, sentei na cama e aguardei mais uma súplica agonizante
O silêncio se fez
Sem entender nada, aguardei um sinal
...
Indagações recheavam a minha mente
O que haveria acontecido?
Alguém precisava de ajuda naquele momento?
O que eu poderia fazer?

Levantei-me calmamente
Direcionei-me ao banheiro
Lavei o rosto e saí sem ao menos olhar no espelho
Ainda atônita desci os degraus para dar continuidade a rotina diária
A casa estava vazia, parecia que eu já havia vivido essa situação
Tentava falar, mais nem o movimento labial eu conseguia expressar
Olhei ao meu redor e a casa parecia a mesma, com uma única diferença, não tinha pessoas
As fotos na parede pareciam registrar pequenos momentos de felicidade, e a saudade bateu, senti um aperto enorme no peito
Sentia muito sua falta, descobri que você cuidava mais de mim do que eu de você
Hoje, mais do que qualquer outro dia, preciso de você, das suas risadas, das suas piadas, do seu abraço, do seu carinho, do seu olhar, apenas você e eu

Por que precisou ir naquele dia chuvoso?
Por que me olhou daquele jeito?
Por que me escondeu que já estava indo embora?

Voltei o mesmo caminho que fiz e vi uma pessoa na minha cama
Outro susto!
Aproximei-me, e para meu espanto vi que era eu
Em uma viagem astral estava frente a frente comigo
Parada, não fiz nada
Deitei automaticamente desejando não acordar
((Tocou o alarme))
Abri os olhos, estiquei-me, olhei pela janela e tudo voltara ao normal
A saudade permaneceu intrínseca no meu corpo, como o perfume da alfazema que uso
Cumpri a jornada do dia apenas para completar "o dia"
Estou cansada, o copo encheu

Peço que puxem a cordinha, quero descer...

Desculpe a desanimação queridos aventureiros, é que na subida do penhasco, por muitas vezes você deseja se jogar...

Abraços

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Aventureira solitária

Segundo dia de Lua Cheia e a Deusa mãe saúda todos com sua bela forma
Perolada ela sai detrás das árvores ofuscando qualquer beleza que por ela passe

Poseidon, o grande Deus das águas salgadas, oferece aos pobres mortais a sua ira no cair da tarde, as ondas suavemente abençoam a areia com um toque no ir e vir da maré, as pedras complementam o espetáculo por manter-se no meio do caminho, ouve-se o seu ronco clamando pela vinda da Deusa Ansiã, para que a energia de Poseidon ganhasse equilíbrio e que a calmaria se estabelecesse no mar

Os pescadores informam para ter cuidado, o vento forte impede as embarcações de ir para muito distante

O movimento fraco na orla anuncia o respeito que os mortais tem aos deuses da natureza e os grandes Reis dos mares, com a coragem e suas armas, conseguem tirar manobras sobre as poucas ondas que formam cristas

E nesse rítimo de batalha, observo o céu mudar de cor, a tarde despir-se, a noite cair, a chuva ameaçar molhar e o vento cessar

Ouço a voz da minha consciência pedir paciência
Ouço o choro da solidão no coração
Ouço e só de ouvir percebo que não tenho voz

Faltam-me palavras para descrever o que está acontecendo, o que estou sentindo, já não sei definir, apenas sinto e abro as janelas da alma e sem cortinas a visão é límpida, sem disfarces

Reservo diariamente 30 minutos do pôr do sol, mesmo que ele não apareça, mesmo que as nuvens o esconda, pois o tempo está chuvoso, reservo esses 30 minutos para apenas refletir o que fará do meu dia melhor e o que posso mudar

Sinto-me presa em um pedaço do tempo que insiste em não passar, sinto-me presa dentro de um tufão, onde turbilhões de coisas rodopiam ao meu redor

Deixam-me tonta e fecho os olhos

Na escuridão encontro a luz,
Será ela que me guiará?
A quem devo confiar minhas súplicas?
Em quem devo acreditar?
O que eu quero crer?

Escrevo na areia um pedido de socorro
Mais é levado pela maré

Cai em mim a preocupação de estar sozinha com os meus pesadelos e o medo da impotência
Estou cega
Faço desse sentimento uma sombra maior do que eu e sigo

- Ó Deusa mãe leve-me contigo e em teu seio confortante abraça-me, conforta-me e acalma minha alma, acredito em ti veemente e encerro mais um dia preterindo bons fluídos, agradecendo pela oportunidade das escolhas e pela experiência de cada caminho.

Boa noite Aventureiros!

domingo, 4 de outubro de 2009

Ampulhetas diárias

Corre tempo numa corrida em que o primeiro a chegar morreu no meio do caminho e não te alcançou.

Poucas palavras queridos aventureiros, só para começar o dia...

sábado, 3 de outubro de 2009

Confissões de sábado a tarde

Não tenho muito o que oferecer
Além de carinhos

Tenho defeitos irrecuperáveis
E convivo com eles muito bem

Tenho prioridades que são irrevogáveis
Vida pessoal em segundo lugar
Sou mãe

Vejo os problemas de outra forma
Lentes cor de rosa para um mundo melhor
pelo menos para o meu

Acredito nas pessoas veemente
Detesto mentiras
Então se mentes, deseje que eu não saiba

Espanto-me com as atrocidades existentes
Abdiquei de assistir TV e ler jornal
Tornei-me alienada? NÃO
Seleciono apenas o que desejo saber

Amo verdadeiramente, sempre!
no primeiro olhar me entrego
nas primeiras palavras eu sonho
de coração aberto salto do avião
Por esse motivo sofro tanto

Mudar?
É difícil, está em mim
e se é para ser assim
que seja

Aceito todas condições
Perdoo, mais desapareço
Evito ver, saber, ouvir a voz
Até que o coração cicatrize

E assim vou levando
mudando de curso
sobrevivendo para viver

Tenham uma boa tarde queridos aventureiros e aproveitem essa vida pois ela é única e não haverão chances de revivê-las, cada minuto passado é minuto perdido se não for bem aproveitado.

=)

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

O Básico único

Respirar para sobreviver
Caminhar para chegar em algum lugar
Enxergar para não errar o caminho

E mesmo assim há os tropeços
os apertos
as quedas

Mãos firmes
Braços forte
Levanta-se
Ergue-se e continua o percusso

Medo
Receio
Volta
E começa tudo de novo

Pega o barco e enfrenta o rio
Corredeira
Correria
Canseira

Parada para o descanso
Vejo o rio desenhar seu percusso
Pessoas simplesmente passam
outras param
e outras acenam um Adeus

E assim o planeta continua a girar no Universo
As estrelas continuam a morrer e se apagar
o Sol nasce todos os dias e as luas completam os ciclos
As marés vazam e enchem

E se o descanso for prolongado
Prorrogado
Deixará a vida passar e não passará por ela

Opção
Escolhas
Reação
Energia
Força

((SCREAM))

Ufa!
Vida vida faço dela uma jornada
é básica mais tenho a opção de customizá-la
e ela tornará unica

Abraços queridos viajantes, peguem as suas embarcações e Boa Viagem e eu por enquanto nada de aviões (risos)

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Todo Amor que Houver Nessa Vida

Cazuza
Composição: Frejat/ Cazuza

Eu quero a sorte de um amor tranqüilo
Com sabor de fruta mordida
Nós na batida, no embalo da rede
Matando a sede na saliva

Ser teu pão, ser tua comida
Todo amor que houver nesta vida
E algum trocado pra dar garantia

E ser artista no nosso convívio
Pelo inferno e céu de todo dia
Pra poesia que a gente não vive
Transformar o tédio em melodia

Ser teu pão, ser tua comida
Todo amor que houver nessa vida
E algum veneno antimonotonia

E se eu achar a tua fonte escondida
Te alcanço em cheio, o mel e a ferida
E o corpo inteiro como um furacão
Boca, nuca, mão e a tua mente não

Ser teu pão, ser tua comida
Todo amor que houver nessa vida
E algum remédio que me dê alegria

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Repetindo a dose do pôr do sol

O sol latente desenhava o seu perfil fazendo uma composição única na paisagem natural
O toque do berimbau melodiava o cântico dos pássaros e a maresia trazida pelo vento abrandava o calor da tarde
No Céu límpido ela via a esperança de dias claros
As ondas contornavam as pedras permitindo a sua estadia permanente no meio do percurso
O silêncio morria em seus lábios e o que falavam eram apenas os seus olhos
Rubros, eles "cristalinizavam" e assim como o mar, salgavam o seu fim de tarde
E por uma eternidade ela permanecia entre o sol que se despedia e a lua que surgia
Hoje, apenas o que desejava era repousar nos braços de Morpheu, era o que te confortaria
O aconchego do lar protegeria
Ela estava disposta a ir embora, tomar outro rumo e contigo levar o seu maior tesouro e assim ganhar o MUNDO.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Apenas um poema

Escrevo para que alguém responda
Espero que não se esconda

O que sinto está guardado para ti
preocupa-se?
Relaxe, eu não o atribuí

Sei que vem nas ondas do mar
Mais também pode vir pelo ar

Não se sabes se estás pelas ruas
Ou se sonhas que sou tua

Estradas desertas

Pelos dias e pelas noites
te quero sem saber quem és
vejo apenas entrar nos meus sonhos
marcando o rítimo pelos seus pés

E em um triste bolero
ainda te espero
sem ter a certeza
se te quero

Finalizando
Eu vou exagerando

E nesse tempero
vem o desespero

O tempo passa
e no forno o coração assa
cria-se uma carapaça

Amar de novo
é sempre mais um ovo

Chocado nasce uma vida
quebrado esparrama em apenas ida

Amanhece o dia

Break

O céu alaranjou
Na cor de mel espalhou-se entre o branco algodão e o azul anil
No mar eram refletidos a magia dos raios
O brilho ofuscava aquele olhar atento e perdido no horizonte
Contra a luz emanada pelo astro rei via-se as sombras dos guerreiros pairando sobre as ondas, uns com remos outros apenas bailando o corpo e a mente
Sentada naquele banco de madeira longínquo ela observava quase tudo, de repente um "oi", um diálogo produtivo, apresentações formais e uma tarde maravilhosa ao som de atabaques, berimbau e uma voz grave entoando cânticos da capoeira
A frente descansavam casais, turistas posavam para fotos e lá embaixo ela desejava estar além das pedras, esperando a próxima ondulação para sentir a liberdade de um mundo paralelo, lembrar como era bom acordar no mar, ver o sol nascer, respirar a maresia e sentir-se
O tempo parecia parar diante de tanta beleza, mais o dever a chamava e poucos minutos tornaram-se areia na ampulheta, despedidas e um até breve...

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Buscas

Caminhando pela orla, beirando o mar, divido-me entre o barulho incessante do progresso e o balsâmico som das águas salgadas ao mesmo tempo em que observo as gaivotas pairando sobre os “imperadores das ondas”, deslizando na espuma da crista em uma conexão harmônica: Homem & Natureza. Consigo desconectar-me do “burburinho” da rua

((Pensamentos efevercentes))

Retomo-me aos acontecimentos desta manhã, o corpo trêmulo, a boca seca, as mãos esfriam, revolto-me, não consigo conceber algumas atitudes, alguns comportamentos, a paz que rondava meu coração esvaiu-se, lágrimas que purificam as janelas da minha alma escorrem pelo rosto, percorrendo um caminho árduo até dissolver as mágoas carregadas há tanto tempo
Eu não estava ali, nesta tarde eu apenas havia viajado, tomado um rumo de inércia, de olhar fixo
No horizonte enxergo o que é desenhado a minha frente, linhas, pontos, cores compõem uma visão magnifica da balaustrada, mais que ficou sem sentido, sem carinho, sem amor, sem sorrisos
O Sol se pondo atrás dos coqueiros, o vento ameno que refrescam o meu rosto, pessoas comuns e incomuns que passam, hoje não se encaixam com o Céu que mistura o cinza, o azul, o laranja e o amarelo transformando em uma bela paisagem, apenas congelam uma imagem diária de quem passa sem apreciá-la
Aos poucos os meus ouvidos captam a “urbanidade” da cidade, o alarme toca uma música, o relógio marca 17h00, hora de voltar, ocupar a “oficina do Diabo” com muito trabalho para evitar pensar...
Sinto dores no corpo e a inportuna enxaqueca preenche o resto do dia

Desculpe-me queridos aventureiros! Hoje o dia foi estressante, mais suficientemente bom e oportuno para um desabafo...

Boa noite!

terça-feira, 22 de setembro de 2009

O bom tornou-se otimo

Estar bem
Ter um dia bom
Ser bom
A soma desses estágios, para mim, é estar no limiar da busca pelo extraordinário, é como se estivéssemos na média, 65%, meio cheio, meio vazio
Já desejei ser 100%, desejei ser perfeita, mais a decepção e a frustração eram maior, aprendi que para aceitar os acontecimentos requer muita prática, transformá-los em aprendizado requer paciência, registrá-lo no livro da vida como experiência requer coragem e compartilhar com todos sobre isso...considero desabafo
UFA!
Hoje, Lua nova, primeiro dia da Primavera, recomeços depois da tempestade, campos floridos, crescimento, inicio de novos ciclos, nós desfeitos
A leveza do dia inebria o quarto, uma alegria imensa envolve-me após alguns telefonemas, as peças do quebra-cabeça tem novos encaixes, tornando-se mais fácil completá-lo
E o rio da vida continua seguindo o seu curso, cabendo a nós direcionarmos o barco, arriscarmos corredeiras perigosas em aventuras especiais, paradas estratégicas para recuperar o fôlego e banhos refrescantes para lavar a alma

Queridos aventureiros tenham um ÓTIMO dia, porque hoje o bom não é o suficiente...

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Pausas

O Sol raiou mais cedo
Mostrou-se sem medo
Rompeu a janela

Cachorro latindo na esquina
Acordou a menina
Levantou-se devagar

Pássaros no poste
Gatos no muro

Atrás daquele monte
Nuvens cinzas anunciavam
que a chuva está vindo
O Sol se esconde

E mesmo assim
A porta se abriu
E ela partiu
Foi embora

Atravessou a rua
Correu
E a ladeira ela subiu

Via-se apenas os pés
ligeiramente no rítimo compassado

Atrás do monte não se via
nem nuvem, nem chuva

Depois da noite, um dia
eis a sua caminhada
Trote de leve

Ofegante, pois passara em repouso
Retornou em marcha lenta
Chegou

Suor no rosto
Banho gelado
Café gostoso

Horas passando
E o príncipe chegando

Feliz por ver-lo
nos meus braços ter-lo
Sorriso "banguela"
e como sempre tagarela

Dia bom
Ia bom
Apenas BOM!!!

domingo, 20 de setembro de 2009

Jam Session no MAM e muita emoção

O calor de Salvador estendeu-se pela noite
Prosseguindo meu caminho ao Museu de Arte Moderna, observei
O céu negro era especialmente abrilhantado pelas estrelas que ali permaneciam marcadas pontualmente em cada cantinho acima de todos
Inebriada pelo clima de uma boa música e acompanhada de uma parceria maravilhosa, Lili, virginiana fortíssima, sentamos na esteira defronte a magia daquele cenário: mar, céu aberto, luzes, sax, teclado, bateria, guitarra, baixo, flauta transversal, voz, percussão e muita, muita emoção, intensidade de sentimentos eram fortemente marcados pelos que ali completavam 10 anos de realização do projeto "JAM no MAM", mais ao meu lado o espaço estava vazio, mesmo assim alguém tão linda de cinco aninhos de idade nos fez companhia, Maria, moradora da cidade de Córdoba com um carisma e um sorriso que desmanchava qualquer pessoa
O vento acariciava meu rosto enquanto eu abria uma garrafa de vinho para brindarmos
Motivos? Sim
A Vida, a minha nova vida, as realizações e os sonhos de Lili, as novidades, a amizade
Cheguei em casa e fui direto aos braços de Morpheu (Deus do sonho) dormir os sonos dos justos, entre boa noite e musica eu sonhei...
Acordei as 05h30 para trabalhar com um sorriso imenso e o sol brilhando lá fora, abençoando mais um dia
Hoje um programa light para encerrar um fim de semana maravilhoso recheado de novidades e comemorações
Um ciclo "primaveril" iniciado e muita expectativa do que estar por vir.

Abraços queridos aventureiros e até o próximo texto!

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

São os pequenos gestos que constroem a grandiosidade do seu dia


O som da percussão embala o começo da festa e o fim do expediente
Entre ladeiras, escadas, pessoas de má-fé tentando ganhar no seu vacilo, policiais educados, sorrisos, artistas, encontrei muita gente que não vejo há tempos, pessoas que estimo grande carinho
Meia noite, mensagem do meu grande irmão avisando que o dia seria incrível pois eu estava a completar primaveras
Um pouco de loucura, boa companhia e mais risadas (para não perder o costume), um clima esplendoroso, uma sensação de liberdade, de leveza, um sentimento puro
O céu cinza no degradê da madrugada vai desaparecendo no horizonte
Ouço as ondas que se encontram vorazmente com as pedras
O vento traz as gaivotas que acabam de acordar e planam sobre o mar
As cores laranja e vermelho, harmonizadas, são pintadas ao longe anunciando a chegada da grande estrela, o Rei Sol
Agora eu os vejo, são eles, os pescadores no mar, aguardando o momento oportuno para a bênção de Yemanjá, a rainha das águas salgadas, a sereia protetora dos nossos mares
Janelas da alma, abertas, encantadoras, apenas observando, compartilhando desse presente, construindo com pequenos gestos meu dia
E encerro hoje com a melodia presenteada, uma diversidade musical que encanta, assim como o amanhecer que assisti e que compartilhei.
Obrigada!

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Cumpleaños

Um dia...
Um passo...
Algumas horas...tic tac

São alguns anos sem querer pensar nesse dia
São alguns anos sem gostar de receber cumprimentos
São alguns anos sumindo, pedindo para que passe logo, desejando que ninguém lembrasse

Motivos existiam para justificar esses sentimentos, pois, pessoas importantes que sempre fizeram diferença na minha vida e que ainda fazem falta, que aperta o coração com uma saudade irreparável e que nesse mundo não será saciada, eles foram embora...

Agora eu sei que amanhã será diferente, amanhã tem que ser divulgado, permito abraços, beijos, saudações, bilhetes, mensagens, sorrisos, encontros e reencontros
O gosto desse dia mudou, ficou mais doce, mais leve, tranquilo, estou comemorando mais uma etapa da minha jornada, estou arquivando sete anos de experiência, estou dando boas vindas ao que está reservado, estou apenas recomeçando

O recomeço é mais trabalhoso do que o começo, é onde analisamos o que deve ser feito para que erros repetidos sejam evitados, é quando a tolerância torna-se pequena diante de ti, a paciência é algo que aparece de vez em quando, valendo a pena aplicá-la no momento certo, a exigência funde-se ao seu jeito, torna-se parte de ti, caminhos e companhias são escolhidos "a dedo", claro que se o "GPS" falha imagine a percepção, imagine a intuição, tentamos e só de tentar andamos meio caminho (risos)

É, queridos viajantes, amanhã para mim será um dia incomum e daqui para frente a tendência será sempre melhorar, estarei a escalar montanhas, estarei a trilhar caminhos novos, colecionando momentos, registrando novidades, traçando metas de curto prazo, vivendo o presente, apreciando os segundos do "AGORA" e construindo o amanhã para mim e o meu pequeno príncipe.

Fico por aqui, mais um dia, mais uma vez...eu e os meus pensamentos...borbulhando

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Pontos

Nostalgia: estado letárgico de lembranças que não voltam do jeito que era, uma saudade imensa do que fui, do que fiz, do que vi, do que senti, do que tinha, enfim SAUDADE
Estar nostálgica me remete a datas, sei o motivo que estou assim, faltam apenas 4 dias para que mais um ciclo se complete, e quanto mais perto do topo eu chego, mais rarefeito fica o ar, isso torna-se gostoso para uma aventureira como eu, esses sintomas só impulsionam a vontade de chegar, de completar o percurso, de olhar lá de cima o quanto eu andei, o quanto eu lutei e o quanto eu sobrevivi as intempéries dos caminhos escolhidos
Olho para frente e ainda vejo a neblina cobrindo por onde devo seguir, arriscar chegar a reta final é algo que continua vivo, intrínseco (claro que o cansaço me deixa imobilizada)
Parada, direciono os meus olhos até a linha do horizonte e seguindo a luz do Sol eis que surge o ponto final, iluminado, como um caldeirão de ouro no fim do arco-iris, é naquele ponto que desejo chegar, para que dalí possam ser criados outros pontos
Sim
Parar?
De jeito algum
Quantos nós desatados até aqui?
Quantos amigos conquistados até aqui?
E ainda falta tanto.
Para quê parar?
Traço apenas pontos para me guiar, para saber que posso retornar caso aconteça alguma dificuldade, caso eu erre na escolha da estrada, monto bases de apoio que me deixem tranquila
Na mochila?
Levo os mantimentos que acho necessário, as vezes falta alguma coisa, mais é aí que tenho que ter paciência, cautela e coragem para prosseguir até achar um lugar próximo para reabastecer
Viajo sozinha nessa aventura e por sorte encontro boas pessoas no caminho, que vislubram os mesmos ideais, que compartilham de experiências parecidas e algumas estão voltando do lugar ao qual quero chegar
Coleciono conselhos diversos, pois poderei utilizá-los posteriormente
Bom, ainda não viajo de avião, ainda fico na sala VIP observando os acontecimentos e as pessoas, mais coloco a mochila nas costas e encaro uma viagem de introspecção, recheada de aventuras e acontecimentos inesperados.

domingo, 6 de setembro de 2009

Amigos

Uma sensação de bem estar invadiu o meu ser, sinto-me necessária quando reencontrei vocês, uma alegria imensa emana e circula dentro de mim, boas lembranças circundam minha mente, projetando o que vivemos na Faculdade, quando tudo era o inicio, quando a responsabilidade de crescer começava a importunar nossa adolescência, quando o dever era bem maior que o prazer, quando a fuga e a oportunidade de aprontar era nossa "artimanha"
Recebemos nossa missão e optamos por diferentes estradas, mais os eventuais "eventos sociais" são elos para nos unirmos e aí começa tudo de novo, sorrisos e o desejo de ver o outro bem, união e estar de braços e abraços, palavras só para dizer que a saudade apertava mais que as lembranças eram constantes
Esquecer o pudor e ser essencialmente você quando estamos juntos, falar o que pensa, criticar, contar as novidades, falar da nova família, os anseios, os objetivos, os sonhos concretizados e aqueles que ainda estão na lista de espera, contar o quanto batalhou para chegar onde está, quantos passos para trás teve que dar, arrependimentos e mais saudades por não estar nesses momentos para oferecer um ombro
Curtir a euforia desse e comemorar
Dançar sem se preocupar com o que vão pensar de nós, porque somos uma família, porque mesmo naquele salão estávamos em casa, juntamos as mesas como se estivessemos em um bar, pertubamos os garçons, dividimos os salgadinhos, as bebidas, as gargalhadas e no dia seguinte dividimos as fotos publicadas no orkut, pois todos eram cúmplices
Beber e ter ressaca e ainda assim levantar de bom humor, com um gosto terrível na boca e uma sede interminável, mais tornou-se inesquecível e imortal o 04/09/2009, tanto pelo casamento de uma amiga doce quanto pela reunião de tantos amigos no mesmo lugar com a mesma comunhão, o amor
As vezes esqueço o quanto eles são importantes, as vezes esqueço o quanto era divertido estar com eles, as vezes esqueço que seus conselhos são viáveis, mais mesmo as vezes esquecendo ou sem se falar frequentemente, sabemos que temos os lugares reservados e que reencontros comprovam que a vida sem amigos é sem graça, é sem cor, é sem brilho ou sem tom
E hoje levanto feliz para trabalhar, voltando de férias em um domingo ensolarado e compartilhando 12 horas de trabalho com outros amigos, imaginando onde vocês possam estar
Sim!
Sinto a Felicidade, essa gama de emoções ou sentimentos que vai desde o contentamento ou satisfação até à alegria intensa, e é assim que estou e é assim que agradeço a todos os amigos na imensidão do meu AMOR

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Domingo

O dia mais preguiçoso da semana.
Se amanhece com muito Sol, logo vem a vontade de ir a praia, depois um balde de água gelada cai sobre sua cabeça e você lembra da "farofada" urgh!
O almoço demora para ser servido, o calor estimula saída para beber algo refrescante.
Um suco?
NÃO!
Uma cerveja bem gelada ou uma bebida para moça e ainda vem dobrada (roska).
Ao cair a tarde, a vontade de ficar "largada" no sofá, com o controle da Tv a cabo na mão, mudando para ver o que os "milhões" de canais disponíveis podem te oferecer, mais desta vez, caros amigos, o domingo foi inusitado, eu diria extraordinário, sem defeitos, com direito a circo sem animais, sem globo da morte, sem palhaçada.
Um esplendoroso espetáculo de cultura, poesia, música, palavras, emoção, sorrisos e amigos.
As lonas daquele circo avistadas da rua pareciam descoloridas e disformes, "aparentemente" com muito esforço estavam em pé, mais ao entrar, o sol penetrava tão magicamente que coloria o espaço interno, os malabares compartilhavam cores em círculo, a plateia junta, tornava-se "uma coisa só", o palco visto daqui de baixo parecia um pedestal onde os "deuses" iriam, um a um, posicionar-se para a saudação, dois mensageiros apresentavam palavras que recitadas faziam reviver seus poetas, poemas sem rimas, ditos populares, realidade sem dó e sem piedade.
As flechas eram lançadas para aqueles jovens que faziam do circo uma cúpula de diversidades.
O picadeiro tornou-se pequeno para tantos aprendizes, o som forte vinha de lá de cima e então as luzes iluminavam mortais que conseguiram consagrar "braços" da arte em um mesmo lugar, com um mesmo objetivo: Compartilhar!
O brilho das estrelas fora do circo anunciava que aquele Domingo acabara, mais que a semana começava com um brilho especial e a melodia permanecia pairando no ar, confirmando que a "poesia prevalece"...

"Reciclar a palavra, o telhado e o porão
Reinventar tantas outras notas musicais
Escrever o pretexto, o prefácio e o refrão
Ser essência
Muito mais..."
Composição: (Fernando Anitelli - O Teatro Mágico)


Boa noite senhoras e senhores!

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Preparando-se para decolar

Avião no pátio "taxeando", vozes nos corredores direcionando o portão de embarque, pessoas indo e vindo, diferentes destinos, distintas razões para viajar, ansiedade por não ter a certeza do que virá e ainda assim continuar andando, apostando no que a espera.
Avista o balcão, no qual deverá entregar a sua passagem quando o responsável anunciar a liberação para o "check in", algumas pessoas preferem ser cautelosas e realizam o "pré check in", pensando que desta forma não perderá o voo se porventura atrasar, digo que está errado, mais quem sou eu para julgar.
Voltando ao ponto, os voos podem ser perdidos tendo precaução ou não.
Portão de embarque, passa-se o balcão após entregar a sua passagem de ida, sim! O destino você tem conhecimento, está escrito no seu bilhete, registrado na rota daquele piloto, você o escolheu, pagou por ele. Atravessa o corredor, pessoas com mais pressa esbarram-se em tudo que está em sua frente, e isso interfere no seu curso, acontece!

((Pausa)) - Alguém, por favor, lembra a essas pessoas que a poltrona é reservada e que as bagagens de mão cabem no compartimento acima do seu acento...

Hora de entrar no avião, Aeromoças recepcionam os passageiros dando boas vindas e indicando a sua poltrona, sentada vejo o luminoso para apertar os cintos
Vamos decolar!
As vezes não apertamos o cinto o suficiente para nos dar segurança e aí podemos nos machucar, mesmo que o transporte pareça seguro. Seguindo.
Viagens como essa são realizadas a todo instante, por diversas pessoas, mais ao estar sentada, segura, você olha para o lado e alguém a acompanha, um estranho, inicio de uma comunicação, primeiro um olhar, depois uma saudação, um sorriso, palavras, coisas em comum, coincidências, sensação de conhecer a tempos, o avião começa a andar na pista, o luminoso que você já havia esquecido continua aceso alertando a importância de manter o cinto apertado, você o ignora, eis então que copmpartilhando do seu medo ele segura sua mão gélida e diz: "Confie em mim!"

((Pausa)) - É nesse ponto que tudo começa!E é onde deve terminar.

Demorei para entender, mais neste exato momento caí na real e no ato de loucura pedi ao piloto que não decolasse, voltasse ao aeroporto, decidi "aportar", voltar para a minha casa, decidi apenas não sair do chão.
Então, parei com as viagens, nada de destinos prefiro ficar na Sala Vip, climatizada, lendo revistas e jornais, tomando cafezinho expresso, observando as pessoas, ganho com isso a extinção da ansiedade, elimino o medo e evito conhecer estranhos no mesmo voo, deixo de colecionar experiências, o catálago está cheio.

Então queridos viajantes, vejo-os na Sala Vip e Boa viagem!

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Alguem contou pra mim

Ouvi uma história
Numa noite sem sono, eu a ouvia
Silenciosamente ela relatava os eventos acontecidos
Sua voz trêmula,
Sua mão enrugada e gélida,
Na escuridão do quarto
Uma penumbra, uma sombra desenhava sua silhueta, não pude vê-la, mais sabia que era importante ouvi-la
Com um pigarro na garganta ela tentava começar a falar, ajeitava-se na cama procurando a melhor postura para que o seu corpo cansado evitasse reclamar, e então, quando o silêncio se fez naquele ambiente, ela começou:

- Eu era menina quando tudo começou
Morena, cabelos lisos caído aos ombros
Olhos negros com duas grandes jabuticabas, espertos e atentos
Nariz fino e cílios grandes
Chamava atenção, muito educada e sempre prestativa
não faltava elogios, meus pais, orgulhosos pelas "crias", nos apresentavam a todos
nas festas de empresas, nas festas familiares, nas festas de todos os tipos e eu ficava sentada observando os adultos conversando, as mulheres bem vestidas acompanhadas dos seus maridos sorriam como bonecas de porcelanas, tudo estava perfeito, parecia filme de final feliz, pelo menos aos meus olhos
Sonhava acordada com os contos de fada
Esperava na janela que a primeira estrela aparecesse no céu para realizar o meu pedido, vivia em um mundo criado por mim, onde todas as cores iluminavam os lugares com um brilho especial, enquanto a minha realidade era fadada ao preto e branco

Enquanto ela falava, eu pensava na minha vida até aquele momento, procurava na minha memória o que tínhamos em comum e curiosa para conhecer o seu rosto, ver o brilho nos seus olhos, a curiosidade me consumindo eu não resisti e perguntei:

- Posso te ver?

O silêncio se fez presente, imediatamente ela largou minha mão e me deu "Boa Noite", e sem que eu percebesse, simplesmente ela deixou o meu quarto e sumiu
Desde que ela saiu, acontecimentos, "estranhamente", estão se repetindo, alguns nós estão sendo desatados, mais outros insistem em ficar mais apertados, estou novamente no limiar do desespero sem força para enfrentar os obstáculos que avisto, pressionada pela a areia do tempo, presa no inferno astral, dentro de um ciclone que não para de rodar e ganha força a cada sol que se põe
Quero sumir
Desaparecer
Deixar tudo e todos
Penso no meu diamante bruto que comecei a lapidar e desejo que para ele seja diferente
A vida
O amor
As decisões...
E eu escolho estar em outro lugar, sem decolar, continuo na sala de espera, esperando por nada, apenas sentada com os olhos parados, mirando o meu livro e a minha mão que tenta escrever uma nova história

Cansei!
Parei!

E sei lá quando começarei, na verdade não quero começar, não quero continuar, não quero...

Boa noite!

domingo, 16 de agosto de 2009

Introdução a uma introspecção

No retorno da viagem que fiz tive inspirações que ainda transcorrem em meus pensamentos desordenadamente, vivi situações que insistem em repetir nas páginas desse livro da vida e que dificilmente consigo entender ou desprender de certas "pegadinhas". Então, resolvo aceitar algumas condições que foram impostas na escolha da alternativa cabível neste percurso, afirmo que a incerteza do tempo de duração destas intémperies rondam a minha cabeça nesta noite, parece que o "pause" de determinados acontecimentos fora trocado pelo "repeat", diferindo apenas os coadjuvantes, porem, tendo todos esses itens relacionados entre sí, sei que chegará apenas em um único resultado, a certeza de ter experimentado.

Procuro analisar calmamente os meus passos,
Procuro por razões para tudo o que acontece,
Ás vezes percebo o que devo fazer em determinadas situações de coincidências e distintas aparências, de experiências vividas e vejo que o mais difícil é escolher o que fazer com as opções dadas.

Acredito que as viagens são pontos de partida para reflexões, são buscas de algo perdido dentro de você, não importa o que te levou a viajar, mais no fim, ela, a essência, trará novas questões para repensar os seus passos, atitudes e momentaneamente te possibilite a introspecção.

Saio do meu mundo com apenas a mochila, a arma em punho e sem escudo
Sou o que quero ser
Vejo o que me convém
Vivo o que é oferecido
Sinto o que no coração dói, o que lágrima salga e o que na boca é adoçado pelo sorriso
E volto!
Volto para onde parti
Uma noite
Um dia
Pensamentos
Travesseiros
Papel
Caneta
E no ar,
O cheiro do conforto do meu único lar
A minha mente
O meu coração
E a incerteza do que será o amanhã

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Be back soon

Estou partindo
Mochila preparada
Máquina fotógrafica a postos
Passagens de ida e volta, pois não arrisco ir sem ter certeza da data de retorno, pois é muito provável que eu queira esquecer de tudo e partir de vez (risos)
Levo tambem, espectativas de aprendizado, divertimento
Desejo a purificação, limpeza do campo mental
Então, queridos navegantes, parto hoje, mais retornarei em breve...

oO

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Pensei em parar

Uma semana atrás pensei em parar de escrever
(achei que ia ajudar)
Constatei que não!
Uma semana atrás pensei em fugir
(para onde?)
Achei que ia ajudar
Constatei que não!

Uma semana atrás eu pensei
Uma semana atrás eu desisti
Uma semana atrás eu fugi
Uma semana atrás eu enfrentei
Uma semana atrás eu voltei atrás
e constatei que não!

Uma semana atrás passou
E hoje eu voltei atrás
Pensei, desisti, fugi e não ajudou

Então, uma semana atrás eu esqueci
Esqueci o que houve uma semana atrás
e comecei tudo de novo.

Antes de dormir

Quero muitas coisas
Traço bastante metas
Tento alcançar um unico objetivo
Vejo esperança nas dificuldades
Sonho com dias melhores
Sinto o amor circular meu corpo
Sou o que sou e nada mais
Espero por alguem, mais ainda caminho
Durmo com meus travesseiros, oratórios macios
Enlouqueço aos poucos, pois de vez não é saudável
Escrevo o que vivo e vivencio o que escrevo
Compartilho com o mundo
Pois posso realizar o seu dia e satisfazer a minha angustia.

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Hoje sem palavras



Hoje sem palavras
Amanhã, quem sabe as terei.

Lapso de pensamento compartilhado

Sofrer por amor?
Não quer dizer que esse filme terá um final triste, ele pode mudar.
O medo é somente a concha protegendo a pérola...

Com.partilh.a.ndo

AMAR
Se separarmos essa palavrinha pode ser uma expressão de espanto ou admiração quando se vê pela primeira vez algo imenso sem começo ou fim ao qual temos apenas uma linha no horizonte dividindo o céu da terra: " A Mar!"
O mar: misterioso, ora calmo, ora revolto, ora transparente, ora turvo, ora com ondas grandes, ora com "marolinhas" fáceis de dropar.
Amar: difícil de entender, complicado explicar, mais qualquer um tem que experimentar, nem todo amor é sofrer, amar unilateralmente só te dá a certeza de que você está vivo, amar sendo correspondido é estar no Éden, amar por amar é banalizar, você pode gostar de muitas coisas, mais ama poucas, não existe dosagem de amor, existe diversas formas de amar, amo meus pais diferentemente de amar meu filho, apesar das duas formas serem incondicionais, amo meus amigos e estou aprendendo a me amar e acredito que é a parte mais difícil, pelo menos para mim.
Amei alguem em que gerou um fruto lindo e forte, alguns dizem que o amor não acaba, mais essa teoria eu questiono, amor acaba sim, o amor é como uma plantinha, ele pode ser regado e bem cuidado e futuramente ser uma árvore frondosa cheia de frutos, ou ele inicialmente é bem cuidado, regado, mais devido ao esquecimento de manter, vai morrendo, vai secando, até que não há salvação.
Sentimos medo de dedicar, de ser a única pessoa a doar numa relação, ainda mais quando sofremos com experiências anteriores, mais aí a vida começa a perder a graça, amar é tão bom, sentir como se borboletas voassem dentro do seu estômago, sentir que as cores do mundo deixam de ser fosco para ser brilhante e vívido, sentir um sorriso surgindo no canto da boca quando se pensa na pessoa que ocupa seu coração, sentir calor quando o vê, sentir nas nuvens quando houve uma música que diz o que estava a pensar, chorar em um filme que lembra situações vividas, sentir muita fome quando o espera, não sentir fome alguma quando está com ele pois o amor te preenche, sentir ansiedade ao estar em casa esperando que ele te ligue, correr para o computador e efetuar "login" em todas as contas de e-mail, orkut, twitter, multiply, msn, skype, blog, facebook...ufa! somente para ver se recebeu uma declaração, um trecho de música, uma poesia ou um simples "oi".
É! Tenho a certeza de que é muito bom amar, amei diversas vezes de diversas formas, mais poucas pessoas tornaram-se especiais, e são essas pessoas que ocupam páginas da minha vida e torna importante os meus caminhos errados para perceber isso.
Amo amar o mar! (risos)

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Depois da tempestade

Na manhã de domingo, a chuva dava o ar da graça abençoando o segundo dia do mês de Agosto, ouviam-se pássaros rodeando o chalé no alto da montanha, o frio acariciava os seus pés que lentamente recolhiam-se para debaixo dos lençóis, seu filho ressonava profundamente, estava sonhando com belos cavalos que cavalgavam no rítimo do vento soprando sem direção, as diferentes árvores tocavam uma melodia de adeus, era o retorno ao seu destino.
Na estrada, através da janela do ônibus que a transportava ela imaginava o quanto havia lutado para chegar novamente ao ponto zero, o começo, na bagagem levava a experiência, o sorriso radiante e um olhar penetrante e sincero, a paisagem do lado de fora corria como o ponteiro dos segundos de um relógio de parede e nessa velocidade um filme diante de tí contava a sua história, enterrompida por um freio brusco, a estrada congestionava de carros e caminhões que retornavam a cidade, pois caia a tarde, lá no alto do morro um menino traquina subia correndo desbravando o mato que o cercava, correndo contra o tempo, somente para contemplar o sol alaranjado indo descansar por detrás dos montes, das casas da periferia, das árvores, lá bem longe, e ela, naquele instate, paralisada pelo acontecimento, enchiam os olhos de lágrimas, emocionada, pois sabia e conscientemente tinha a certeza que as coisas simples da vida são exatamente cheio de vida.
E nesse ciclo, o ponto final encerra um parágrafo ou um capítulo, vai depender de como "você" queira escrever seu livro.

terça-feira, 28 de julho de 2009

Pablo Neruda

"Já não se encantarão os meus olhos nos teus olhos,
já não se adoçará junto a ti a minha dor.
Mas para onde vá levarei o teu olhar
e para onde caminhes levarás a minha dor.
Fui teu, foste minha.
O que mais?
Juntos fizemos uma curva na rota por onde o amor passou.
Fui teu, foste minha.
Tu serás daquele que te ame, daquele que corte na tua chácara o que semeei eu.
Vou-me embora.
Estou triste: mas sempre estou triste.
Venho dos teus braços.
Não sei para onde vou.
...Do teu coração me diz adeus uma criança.
E eu lhe digo adeus."

segunda-feira, 27 de julho de 2009

A aventura está apenas começando

Apesar de estar mais perto do pico, o medo e o stress ainda estão em mim
O ar rarefeito já não incomoda tanto, porém atinge o suficiente para deixar que as lágrimas brotem da minha alma e caminhem pela minha face
A bagagem que estou levando ainda pesa bastante, mais do que o normal
Os pés cansados e inchados ainda conseguem percorrer alguns passos, com muita dificuldade continuo o caminho, ultrapassando obstáculos e colecionando experiência
A neblina cobre o horizonte, mais estou certa onde quero chegar, faltam apenas dois dias para a parada decisiva, após esse dia estarei a espera apenas do chamado, em cada oportunidade oferecida pelo universo deixo algumas coisas pelo caminho para liberar o peso, passo a mão no meu rosto procurando aliviar os pensamentos negativos, respiro aos poucos afim de abrandar o aperto no peito
Olho o céu alaranjado, vejo que é apenas o reflexo do pôr do sol anunciando que mais um dia irá surgir e certificando que mais uma etapa foi concluída com sucesso
Sensibilidade a flor da pele, enlouqueço algumas vezes
Sozinha, reflito sobre os ritos de passagem que todo ser humano obtém na longa jornada da vida para marcar o crescimento e o amadurecimento
Meu sorriso tenta esconder o stress que na pele é refletido, não consigo disfarçar o que está ocorrendo, quem me conhece sabe até mesmo pelo "msn" como estou
No trabalho tento estar bem, deixo os problemas do lado de fora, mais eles insistem em entrar, é uma batalha, vencer essa situação torna-se complicada mesmo sendo otimista
Um frio na barriga constantemente tem tirado meu sono, amanhã retorno as minhas corridas diárias, preciso de uma dosagem extra de adrenalina correndo nas minha veias, preciso sair, preciso conhecer pessoas, preciso fazer mais coisa que gosto e é claro preciso de dinheiro para poder concretizar mais desejos
Planejo coisas boas antes do meu inferno astral, tenho que ser imediatista para poder recarregar as baterias e voltar ao mundo bem diferente do que quando o deixei.