quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Ops?!




Estava com frio...Bateu calor.

Estava escuro...Acenderam a luz.

Surgiu na emensidão do mar uma esperança.
Estava parada ontem no meio da chuva e de repente me peguei sorrindo...Estava pensando em você, engraçado né?!
O que fazer?
Pergunto como se alguem me ouvisse e pudesse dizer o que devo fazer, e mesmo assim, sabendo como sou, seria teimosa, seria orgulhosa, tenho receio do que pode acontecer.
Envolvimentos profundos?
Entregas e juras de amor?
Nesse momento são como chuva no jardim, pode salvar as flores mais tambem pode destruir uma plantação.
Estou confusa!
Preciso de tempo.
Não existe tempo!
Vivemos a todo momento em mundos paralelos tendo que decidir a cada segundo o que viver, onde crescer, o que comer, o que vestir e quando morrer...fico louca de pensar o que eu posso fazer para mudar e mesmo assim não mudamos...escolhemos, e escolhas são mudanças?
Depende!
Estou perplexa, diante de palavras que a toda hora ecoam na minha cabeça, ouço uma música e aí tudo parece mais dificil, decisões...o que fazer com ela?
Desculpe!
Preciso me desvencilhar de algo que me prende, me sufoca, me afoga.
Desculpe!
Preciso quitar uma dívida com a tristeza e a preocupação.
Só o que tenho a lhe pedir são desculpas, sinceras, mais são desculpas.
Está fora de questão trancar portas ou janelas.
E digo mais...sair correndo?
Nem pensar!
Deixo a chave no parapeito da janela e a porta entreaberta...












Um comentário:

Flávio Catão. disse...

Belas palavras. E quando as janelas e as portas entreabertas. Devemos mantê-las sempre assim. O bom da vida é esperar que o inesperado aconteça!

;)

Beijo.