segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Quero me deixar



Ir embora.

Neste exato momento é o que passa em minha mente, a necessidade de sair e me deixar para trás poderia ser a solução de começar tudo de novo.

Acredito que estou chegando onde passei a vida toda procurando, os sinais estão mais latentes e o que impede é a coragem, sentimento que sempre tive dentro de mim e que se perdeu por aí.

A briga está intensa entre o coração e a razão. É difícil para uma pessoa pensar em si quando se cresce pensando nos outros.

As lágrimas é a maior expressão de dor pois não tenho voz para gritar, uma proposta está corroendo meus dias, uma proposta interna, uma proposta que se aceita não terá volta, não poderá ser apagada e reescrita.

Sofrendo antecipadamente acredito que é a melhor decisão a ser tomada, aproveitando a distância dos olhares, da voz e das palavras repenso em nós e a decepção em mim por sempre começar e me abandonar no meio do caminho. São dois seres em desenvolvimento, um tentando se encontrar e o outro tentando se aceitar. Tenho segurança no que penso, no que quero, no que desejo, onde quero chegar e todos os caminhos mostram que a solidão é a minha melhor companhia. Peço que me provem ao contrário, mas ainda não conseguiram...as mãos tremulas, os olhos marejados e um aperto no peito bloqueiam as palavras daqui para frente.


2 comentários:

Flávio Catão. disse...

Adoro você. Fica bem!
Mesmo longe...sempre estarei por perto!

Fabi disse...

Vá, se isso fizer parte do seu crescimento. Não se cresce sem dor.Bjs