quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Evidências

Escrever o que sinto está cada vez mais fácil, tinha medo de expor esses sentimentos e tornar-me vulnerável, mais hoje, sei que o que me torna frágil é a omissão.
Falar com você está sendo uma forma de afagar o que estar a corroer pouco a pouco meu coração, é uma maneira de manter vivo o amor, o carinho, a calma, a tranquilidade, o respeito, a paixão, o idealismo, os sonhos que penumbram meu ser. Entendo que devo suprimir esse desejo de estar ao seu lado, o que pertence a nós de fato e comum se torna incomum no tempo vivido, nossos caminhos em algum lapso do tempo encontraram-se, mais me pergunto, será que esse deslize do destino acontece três vezes? Assim como o bater das asas de uma borboleta aqui poderá fazer um estrago do outro lado do mundo (Lei de Murphy) é certo que essa pergunta será somente mais uma pergunta sem resposta.
Neste final de tarde fico por aqui e levo mais uma vez a lembrança de um dia ter vivido algo inacreditável (risos).

Um comentário:

kinha disse...

Quem sabe, consigo percerber os prós em expor também, tudo o que vai na minha cabecinha...
Essa Lei de Murphy, sei não, acho que adquirindo uma porção de maladragem necessária, conseguimos driblar em alguns propícios momentos..
Beijo grande e quero te ver de novo !